Lançamentos do Mês Outubro #16Contando Livros Contando Livros: Lançamentos do Mês Outubro #16

29 de outubro de 2018

Lançamentos do Mês Outubro #16



Elza




Elza é a aguardadíssima biografia oficial e definitiva de uma das maiores cantoras de todos os tempos e ícone cultural brasileiro. Zeca Camargo narra a história de Elza Soares, da infância pobre ao sucesso, consagrada em discos que marcaram a música brasileira e, mais recentemente, nos ovacionados e premiados A mulher do fim do mundo e Deus é mulher. Nas palavras de Zeca: “Esta é a versão final, definitiva, contada por ela. Elaborada por mim, mas a matéria-prima é a memória da Elza – e isso é muito, muito fascinante. É como um mergulho nessa vida maravilhosa e nessa trajetória incrível.” Com coordenação de conteúdo de Juliano Almeida e Pedro Loureiro, o livro foi construído a partir de muita pesquisa do autor e ao longo de dezenas e dezenas de encontros entre Elza e Zeca no apartamento da autora, no Rio de Janeiro. Foram momentos de conversas deliciosas e uma interação fantástica, transpostas em livro num texto ágil e revelador que funciona como um passeio pelas lembranças de uma de nossas maiores artistas.

Grande diva da música brasileira, Elza Soares, nascida e criada numa favela carioca, filha de uma lavadeira, casou-se muito cedo e logo teve filhos. Por essa época participou do programa de calouros de Ary Barroso, onde recebeu nota máxima. A partir daí, conquistou plateias no Brasil e no mundo. Considerada uma eterna vanguardista, sempre abriu espaço para diversas tendências artísticas. Admirada por artistas como Caetano Veloso, Chico Buarque e Marisa Monte, entre outros, Elza segue tocando sua carreira com vitalidade e agenda cheia. Seu disco mais recente é Deus é mulher, de 2018, indicado ao Grammy Latino.



O diário de sonhos





Nossos sonhos são o diário de nossa vida: um espaço onde esperanças, medos e desejos aparecem em formas de histórias fantásticas ou, algumas vezes, assustadoras.
Nossa essência cria mundos secretos e íntimos noite após noite, e quase nunca paramos para nos perguntar o porquê. 

Será que os sonhos são mapas do que queremos para o nosso futuro? Cura para as feridas do passado? Um esforço para compreender o presente?

E se conseguíssemos nos lembrar dos nossos sonhos a cada manhã? E se pudéssemos utilizar essas vivências para nos conhecer melhor ou como combustível para a nossa criatividade? E se aprendêssemos a acordar dentro dos sonhos e a guiá-los na direção que quiséssemos?

Ao escrever seus sonhos, você os transportará à sua memória a longo prazo, e essas experiências incríveis e tão intensas estarão à sua espera nas páginas deste livro.

REGISTRE SEUS SONHOS

EXPLORE SEU INTERIOR

CONHEÇA A SI MESMO


O Papa Contra Hilter








Escrito pelo pesquisador Mark Riebling, expert em serviços de inteligência e espionagem, O papa contra Hitler se baseia em transcrições e documentos confidenciais para narrar uma batalha épica e joga luz sobre uma das maiores controvérsias históricas de nossa era: a postura supostamente neutra da Igreja diante do nazismo. Até a publicação de O papa contra Hitler, a história oficial acusava o pontífice Pio XII, ocupante do cargo durante a Segunda Guerra Mundial, de cumplicidade com o Holocausto – chegando inclusive a chamá-lo de “O Papa de Hitler”. Mas uma parte determinante desse episódio ainda não havia sido contada: Pio XII comandou um dos maiores esquemas de espionagem para derrotar o nazismo.

Riebling revirou arquivos para nos apresentar uma história real que abre as portas do Vaticano para revelar um dos eventos mais surpreendentes do passado da Igreja, digna dos melhores thrillers de Graham Greene, Ian Fleming e John le Carré. Além de estar à frente da maior instituição religiosa do mundo e do menor Estado, Pio XII comandava o mais antigo serviço de espionagem. Secretamente, ele desviou dinheiro para pagar mensageiros secretos, que registraram seus encontros com nazistas da mais alta patente e furtaram documentos secretos do Führer. Quando soube do Holocausto, o papa, arriscando a própria pele, se envolveu num jogo duplo – tramando contra Hitler ao mesmo tempo em que enviava ao ditador cartões de aniversário.

O papa contra Hitler documenta detalhadamente cada lance desse embate perigoso ao narrar episódios tão fascinantes quanto o dos jesuítas armados que roubaram plantas das casas de Hitler e o voo de um editor de livros católico que atravessou os Alpes carregando informações secretas obtidas junto à chefia dos guarda-costas do Führer. Até o guardião da cripta do Vaticano se envolveu com atos de espionagem que frustraram planos de guerra alemães, como o envio de uma pasta-bomba que chegou a ferir Hitler. Ainda assim, os atos secretos de Pio XII silenciaram sua resposta pública ao nazismo: temendo que protestos veementes impedissem suas ações, o papa nunca pronunciou as palavras incendiárias que desejava.

Descrito como “poderoso e provocativo” (Washington Post), “emocionante” (New York Times) e “brilhante” (Kirkus), O papa contra Hitler muda a forma como enxergamos a história da Segunda Guerra Mundial.



Falsa Acusação






Um livro eletrizante, importante e perturbador, Falsa acusação é baseado numa história real e num artigo vencedor do Prêmio Pulitzer de jornalismo investigativo, que foi publicado no site de uma ONG na internet e viralizou em questão de horas. Como num episódio de Law & Order, os jornalistas T. Christian Miller e Ken Armstrong acompanham o trabalho incansável e a dedicação de duas detetives para colocar um estuprador em série na cadeia e dar voz às suas vítimas – fazendo também uma análise da maneira ultrajante como as mulheres são tratadas quando denunciam casos de violência sexual. Narrado em ritmo de thriller, Falsa acusação está sendo adaptado pela Netflix na série Unbelivable, prevista para estrear em 2019.

Essa é uma história da qual já ouvimos falar inúmeras vezes: uma mulher, vítima de estupro, vai à polícia fazer uma denúncia e acaba sendo interrogada com desconfiança pelos policiais – como que roupa você estava?, o que estava fazendo na rua a essa hora?, por que abriu a porta?, qual a quantidade de bebidas alcoólicas e substâncias entorpecentes que você tinha ingerido?, por que você está querendo chamar atenção? A única pergunta que falta nessa lista é: até quando isso vai acontecer?

Em 11 de agosto de 2008, Marie, de 18 anos, foi à polícia denunciar que um homem mascarado entrou em seu o apartamento e a estuprou. Depois de alguns dias, a polícia, e até mesmo algumas pessoas próximas, começaram a desconfiar da história. Os policiais rapidamente mudaram o rumo da investigação e passaram a interrogar a adolescente, que passou de vítima a suspeita. Confrontada com as inconsistências do seu relato e as dúvidas de todos, ela voltou atrás e disse que tinha mentido, que tudo não tinha passado de uma tentativa de chamar atenção. A polícia a acusou de ter feito uma denúncia falsa – e Marie foi taxada de mentirosa e execrada por todos.

Mais de dois anos depois, Stacy Galbraith, detetive de Golden, no Colorado, é designada para investigar um caso de estupro. Ela se junta a Edna Hendershot, detetive responsável por outro caso semelhante, e logo descobrem que estão às voltas com um estuprador em série. As duas detetives se dedicam a uma intensa investigação e acabam relacionando esse criminoso a inúmeros outros casos de violência sexual ainda não solucionados nos Estados Unidos.

Baseado nos arquivos da investigação policial e nas entrevistas com todos os envolvidos, Falsa acusação apresenta uma história cheia de reviravoltas, dúvidas, estigmas, mentiras e, acima de tudo, um profundo desejo de justiça. Além disso, lança no ar o grito de desespero das vítimas de violência de sexual que costumam encontrar mais desconfiança, olhares e palavras de acusação do que dedicação profissional e empatia.

Para Joanne Archambault, CEO da End Violence Against Women International, organização que combate a violência contra mulheres, T. Christian Miller e Ken Armstrong “mostram como a questão de gênero e os vários mitos sobre a violência sexual ainda influenciam – e muito – a maneira como as autoridades responsáveis investigam esses crimes, prejudicando ainda mais as vítimas e permitindo que os criminosos continuem em liberdade e possam cometer mais crimes. Esse livro brilhante é também o relato de uma investigação que só dá certo por causa de duas detetives que acreditam nas vítimas e não desistem de fazer justiça. Bem fundamentado e emocionante, Falsa acusação é uma leitura essencial.”




Lampião e Maria Bonita






Lampião é um sujeito raríssimo cuja história não se encerra. Circunscrito a seu ambiente, o semiárido nordestino, Virgulino Ferreira da Silva, bandido, assassino, terrível, encontrou Maria da Déa, casada, inquieta, aventureira. A união da dupla e a vida entre seus seguidores apresentou ao país, preocupado em ser moderno, uma forma diferente, assustadora e sedutora de viver. Gênio militar inato, galanteador, sábio, pernóstico, malvado, justo... Quantas pessoas foram capazes de reunir tantos defeitos e qualidades? Quantas mulheres abandonaram tudo para seguir o grande amor?

Testemunhada, contada, recontada, reescrita, a vida e o amor de Lampião e Maria Bonita, um legítimo romance de aventura, só podem ser projetados como ficção coletiva, erguido sobre as fundações deixadas por tantos outros narradores que se aventuraram a contar seu romance. A saga dos dois é uma história verdadeira que, até hoje, alimenta a mística do cangaço e continua mexendo com o imaginário popular.


Os livros podem ser encontrados aqui Amazon

Espero que tenham gostado dessa seleção, alguns dos livros são relacionados a literatura e cultura brasileira, espero que desperte curiosidade para conhecê-lo. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Suba